página da FBN no facebook | FBN's facebook page :

https://www.facebook.com/fed.br.nushu/

(follow us)

vídeo institucional da FBN | FBN's institutional video :

https://vimeo.com/194560175

envie um e-mail com seu endereço postal para federacaobrasileiradenushu@gmail.com e receba o Jornal Oficial  da Federação Brasileira de Nushu.

send an e-mail with your post adress to federacaobrasileiradenushu@gmail.com and receive The Official Journal of the Nushu Brazilian Federation.

Vestir armadilha| 2014 - ____

Institucionalização, disseminação e desenvolvimento da luta Nushu, criada e praticada apenas por mulheres.

Exposição: casamata - Rio de Janeiro, BR.

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.

(English subtitles in Vimeo description)

Vídeo Institucional da FBN | FBN's Institucional Video

Wearing a trap| 2014 - ____

Institutionalization, dissemination and development of Nushu fight, created and practiced only by woman.

Exhibition: casamata - Rio de Janeiro (BR).

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.

Vídeo Institucional da FBN | FBN's Institucional Video

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.

Armadilhas | Traps

Wearing a Trap is a work comprised of several parts. It proposes a martial art created and practiced only by women. Each time the work is presented, other parts are incorporated, indicating the existence and institutionalization of this fighting style.

The first presentation of the work was featured at casamata art space, in Rio de Janeiro, Brazil. It consisted of: the first issue of the Official Journal of the Nushu Brazilian Federation (FBN, in the Portuguese acronym), which can be also received by mail; FBN’s Institutional Video, which can be accessed at the FBN’s Facebook page; the FBN Logo, made in acrylic; the “Traps”, uniforms provided by FBN to the fighters; and the “Stage” where the Nushu practice takes place.

The conception of the Nushu fight stems from the creation of a fighting uniform that originates from the female body. The so-called “traps” make the woman who wears them more susceptible to the opponent’s attacks. Most fights are proposed and practiced in a predominantly male universe, to which the female fighters must adapt, aware that they will not attain the same reputation, sponsorship opportunities, support by the media, and the possibility of pursuing a career as a fighter as men will. Through FBN, Nushu constitutes in a critical alternative to the sexist logic perpetuated in many ways in our society.


Jornal Oficial da Federação Brasileira de Nushu n.01 | Official Journal of the Nushu Brazilian Federation n. 01

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.

Vídeo Institucional da FBN | FBN's Institucional Video

“Vestir armadilha” é um trabalho constituído por diversas partes e propõe a existência de uma luta marcial fundada e praticada apenas por mulheres. Cada momento que o trabalho é apresentado são somadas partes que indicam a existência e institucionalização dessa luta.

Até então, o trabalho foi apresentado em exposição na casamata, Rio de Janeiro(Brasil). E reuniu o “Jornal Oficial da Federação Brasileira de Nushu (FBN) nº01”, que pode também ser enviado pelo correio*, o “Vídeo Institucional da FBN”, que pode ser acessado pela página da FBN no facebook, o “Logo da FBN” em acrílico, as “Armadilhas”, uniformes próprios para a lutacedidos pela Federação para as lutadoras, e o “Palco”, onde acontece a prática do Nushu.

Nushu, foi uma luta idealizada a partir da criação de um uniforme de luta que partisse do corpo da mulher. O uniforme se propõe como uma armadilha para aquela que o veste, deixando-a suscetível e possibilitando um repertório maior de golpes à adversária. Os golpes, e a luta como um todo, são frequentemente revisitados por meio da colaboração das próprias lutadoras, sendo assim, as regras não estão fixadas mas em constante tradução. Essa revisitação e reestruturação acontecem todo momento que novas praticantes são introduzidas a luta. A maioria das lutas são propostas e celebradas em um universo entendido como masculino cujo o qual as praticantes mulheres devem se adaptar conscientes de que não terão o mesmo renome,patrocínio, aporte midiático e possibilidades de seguir na carreira que um homem. Assim, o Nushu constitui uma alternativa crítica problematizando a lógica patriarcal vigente.

Vista da exposição "Vestir armadilha" | View of  "Wearing a trap" exhibition.